sexta-feira, 4 de março de 2011

O Mobiliário na Antigüidade Parte 2 - Grécia e Roma




Grécia

Existem poucos registros sobre o mobiliário grego. O que se sabe é que tinham dimensões menores do que os modelos egípcios, proporcionando mais leveza e praticidade.

O móvel grego também divide-se em móveis cerimoniais, utilizados em eventos de honra ao ar livre (Kline), e móveis de uso comum, como as camas, bancos e cadeiras (Klismos), esta última utilizada somente por mulheres, geralmente para amamentação.


Cadeira klismos no túmulo de Hegeso, c. 400 a.C.


Imagem de representação do kline.



Roma

O mobiliário romano deriva do móvel grego, mas distingue-se pela suntuosidade. Os móveis romanos possuem grande variedade de tipos, também divididos entre o uso comum e o uso cerimonial.

Os romanos desenvolveram alguns modelos, como a cadeira semi-circular e as mesas pequenas com três pés, usadas para refeições. O vocabulário decorativo do mobiliário inclui os carcaterísticos pés com forma de patas de leão e também cariátides e outras figuras mitológicas que ornamentam as pernas de mesas.


Pés com forma de pata de leão

Entre os móveis de assento, o lectus era um dos mais importantes, presente na maioria das casas romanas. Suas funções eram variadas: descanso, fazer refeições, conversar. Utilizado como assento e repouso, sobretudo em cerimônias e banquetes. Confeccionado em madeira, tinha uma cabeceira ornamentada com motivos decorativos, que servia como apoio para o braço quando se estivesse recostado.

Lectus: um dos móveis mais usados pelos romanos.



A triclinia consistia em uma estrutura em U, formada por três lectus.


Já a cattedra era uma cadeira com encosto, geralmente usada pelas mulheres e idosos.Este modelo é adotado posteriormente no período medieval, no espaço religioso.


A Cattedra romana.

Outro móvel de assento utilizado pelos romanos era a sella curulle, um modelo sem encosto, derivado dos bancos, com dimensões generosas.


A Sella Curulle




(Post original: historiadomobiliario)

Um comentário: